Veículos Elétricos

Como escolher bicicletas e trotinetes elétricas!

Veículos Elétricos

 

Bicicletas e trotinetes elétricas: qual escolher, vantagens e apoios

 

A mobilidade ecológica, também conhecida por mobilidade verde, é uma área com elevado desenvolvimento nos últimos anos. 

A mobilidade verde tem como objetivo reduzir as emissões de gases poluentes para a atmosfera recorrendo a um conjunto de novas soluções, como por exemplo: veículos de baixas emissões. Aqui entram os automóveis elétricos, mas também as bicicletas e trotinetes elétricas.

Em Portugal há um programa denominado de fiscalidade verde que tem como objetivo promover a sustentabilidade em várias áreas. 

Resumidamente, a fiscalidade verde premeia um “modo de vida mais verde” através de benefícios e incentivos que podem ser fiscais e até mesmo monetários.

Neste programa há espaço para vários equipamentos, tais como: automóveis, bicicletas e trotinetes.

Neste artigo são apresentadas sugestões de bicicletas elétricas e trotinetes elétricas que podem ser abrangidas pelos benefícios da fiscalidade verde.

Além destas sugestões, encontra ainda como funcionam as bicicletas e trotinetes elétricas, quais as suas vantagens e os benefícios associados às mesmas através da fiscalidade verde.

Encontre todas estas informações ao longo do artigo que preparamos para si.

Bicicletas elétricas que deve conhecer:

 

O primeiro elemento da lista é da fabricante Xiaomi. Sim, da mesma fabricante dos smartphones e tablets. 

A bicicleta elétrica e dobrável da Xiaomi só pesa 17 kg, sendo relativamente fácil de transportar. 

A sua bateria é de lítio e com 250W, que lhe concede uma autonomia de até 45 km. Esta bicicleta conta ainda com 3 velocidades para quando pretender usar os pedais.

Como seria de esperar, a bicicleta fornece informações em tempo real dos trajetos percorridos através da conexão com a aplicação da Xiaomi.

 

Como o próprio nome indica e tal como o modelo da Xiaomi, esta é uma bicicleta elétrica dobrável

A bicicleta da Blaupunkt encontra-se equipada com uma bateria de lítio de 36V/7,87Ah. Estes números significam que no total obtém uma autonomia a rondar os 60 km. O tempo de carga para obter esta autonomia é de 6 horas.

A velocidade máxima desta bicicleta no modo elétrico é de 25 km/h. A velocidade pode ser controlada com recurso ao LCD que se encontra no guiador. 

Este modelo da Blaupunkt é, sem dúvida, uma excelente solução para quem procura autonomias elevadas.

 

A bicicleta da Smartgyro também recorre a uma bateria de lítio para fornecer energia para a movimentar. Esta bateria concede-lhe uma autonomia que pode chegar aos 50 km

Para obter a autonomia total deste equipamento só precisa de um carregamento de 3 horas.

Tal como os modelos apresentados anteriormente, a Smartgyro E-bike também é dobrável, o que facilita a sua arrumação e transporte.

 

Trotinetes elétricas a comprar em 2021

 

Este é o modelo perfeito para quem procura uma trotinete elétrica todo-o-terreno. 

É a sua potência máxima de 1100 W e os seus pneus sem câmara de ar XL que a tornam ideal para usar na cidade, campo e até em trilhos um pouco mais exigentes.

Esta trotinete elétrica tem 3 modos de condução: económico, conforto e desportivo. Estes modos alteram a potência, velocidade e autonomia disponível total. 

A Cecotec Bongo pode percorrer até 40 km e atingir 25 km/h de velocidade máxima, valores que pode ir acompanhando no computador de bordo.

 

Este é o segundo produto da Xiaomi a figurar nas recomendações. Após ser sugerida uma bicicleta elétrica, segue-se a Xiaomi Mi Eletric Scooter Pro2, uma trotinete elétrica.

A bateria da Mi Eletric Scooter Pro 2 é de lítio de 474 Wh que lhe dá uma autonomia de até 45 km.

O motor elétrico gera uma potência de 300 W que lhe permitem atingir os 25 km/h. Uma vez que só pesa 14 kg e é uma trotinete dobrável, o seu transporte é muito fácil de realizar, mesmo em transportes públicos, por exemplo.

Além disso, este modelo conta ainda com conexão ao smartphone, um ecrã LED onde é possível ir controlando a bateria, velocidade e outros aspetos relevantes, e ainda com faróis brilhantes para garantir a máxima segurança e visibilidade durante todo o dia.

 

Este pode ser um presente ideal para uma criança ou um adulto. Pode ser um meio de diversão ou um meio de transporte confortável, uma vez que é uma trotinete elétrica com assento. 

Este é o modelo ideal para percorrer pequenas distâncias e a velocidades mais controladas. A autonomia é de até 15 km e a velocidade máxima 12 km/h.

Esta trotinete dobrável encontra-se equipada com guiador regulável, como praticamente qualquer modelo do mercado. No entanto, destaca-se a presença de um assento regulável em altura.

Bicicletas elétricas vs trotinetes elétricas: o que são, como funcionam e vantagens

 

1. Bicicletas elétricas

As bicicletas elétricas são cada vez mais populares e adequam-se a qualquer pessoa que goste de uma bicicleta convencional, mas não só.

Para as pessoas que procuram um meio de transporte sustentável e eficiente, a bicicleta elétrica pode ser o ideal. Estas permitem a realização de deslocações curtas sem que seja necessário ficar horas no trânsito, e, principalmente, sem que seja necessário gastar dinheiro em combustível.

Para os amantes do ciclismo, as bicicletas elétricas também têm as suas vantagens.

É possível continuar a desfrutar dos passeios de bicicleta, continuar a exercitar o corpo, mas também é possível desfrutar da paisagem, descansar um pouco sem sair da bicicleta, e percorrer uma distância maior.

Ao contrário do que se possa pensar, e sendo este um dos grandes entraves à compra de uma bicicleta elétrica, estas são efetivamente mais pesadas que uma bicicleta convencional, devido ao motor e à bateria elétricas, mas não são assim tão pesadas.

Dependendo do material no qual é produzida (aço, alumínio, carbono, magnésio ou titânio), a bicicleta pode pesar (apenas) cerca de 15 kg.

E o seu preço, este sim, o maior entrave à compra de bicicletas elétricas, também não tem que ser assim tão elevado. Há modelos para todos os preços. Tudo depende das necessidades e exigências do utilizador.

É ainda importante salientar que ao valor da bicicleta pode ser possível abater uma percentagem solicitando o apoio do Estado. Continue a ler o artigo para descobrir tudo.

 

1.1 Como funcionam as bicicletas elétricas

A grande diferença entre uma bicicleta convencional e uma bicicleta elétrica é a existência de um motor e de uma bateria elétrica.

A bateria elétrica pode ser recarregada através da ligação à rede elétrica e armazena a energia necessária para o motor elétrico. A função do motor é a de diminuir o esforço realizado pelo utilizador.

As bicicletas elétricas têm diferentes níveis de assistência ao utilizador, ou seja, de uma forma simples, têm diferentes graus de potência. O importante é escolher o nível de assistência mais adequado ao trajeto e às pretensões do utilizador.

Se o utilizador necessitar de maior potência para subir uma estrada íngreme, por exemplo, deve escolher um nível de assistência mais elevado.

Por outro lado, se se encontrar num local onde não é necessário um grande esforço, ou se quiser, até, aproveitar para se exercitar um pouco mais naquele momento, deve escolher o nível de assistência mais baixo.

 

1.2 O motor elétrico na bicicleta

O motor elétrico é o elemento central numa bicicleta elétrica.

Independentemente do tipo de bicicleta elétrica (urbana, estrada, montanha, outras), é importante escolher uma bicicleta com um motor de qualidade.

No mercado existem bicicletas elétricas com motores em diferentes posições: na roda de trás, na roda da frente, ou no eixo dos pedais. A localização do motor afeta o desempenho da bicicleta, pelo que é necessário escolher um tipo de bicicleta elétrica que melhor se adequa às pretensões do utilizador.

 

  • Motores localizados na roda de trás

Grande parte das bicicletas vendidas em Portugal têm o motor localizado na roda traseira. Este tipo de construção é bastante económica, o que torna as bicicletas acessíveis. O grande problema continua a ser o desequilíbrio na distribuição de peso, principalmente se a bateria se encontrar também no eixo traseiro. Se tiver um furo no pneu traseiro, é necessária a ajuda de um profissional para o trocar.

 

  • Motores localizados na roda da frente

Comumente encontrados em bicicletas dobráveis e em bicicletas mais económicas. A grande desvantagem é o facto de a frente da bicicleta ser mais pesada do que a traseira, o que pode diminuir a agilidade da própria bicicleta e provocar uma certa estranheza na condução.

 

  • Motores localizados no eixo dos pedais

São, geralmente, bicicletas mais caras. Têm, contudo, uma distribuição de peso mais equilibrada e são mais fáceis de transportar. Têm um centro de gravidade mais baixo, pelo que são ideais para utilização fora dos centros urbanos.

Independentemente da localização do motor, todas as bicicletas elétricas estão limitadas eletronicamente a uma velocidade máxima de 25 km/h.

Isto não significa que a bicicleta não possa ultrapassar esta velocidade máxima, por exemplo, em descidas ou exclusivamente com o pedalar, mas significa sim que o motor não continuará a acelerar depois de ultrapassados os 25 km/h.

Esta é uma medida de segurança definida por lei para evitar que sejam atingidas velocidades demasiado elevadas e que poderiam comprometer seriamente a integridade física do utilizador.

 

1.3. Autonomia e bateria de uma bicicleta elétrica

A par do motor, temos a bateria elétrica, um elemento também muito importante numa bicicleta elétrica.

As baterias podem ter diferentes capacidades. Quanto mais elevada for a sua capacidade (em watts), maior a sua autonomia, ou seja, mais quilómetros será possível percorrer com apenas um carregamento.

Claro que a eficiência do motor também influencia a autonomia da bicicleta elétrica, assim como o próprio percurso, peso e estilo de condução do utilizador, e, ainda, o vento.

Assim, se a bicicleta for utilizada maioritariamente em montanha, é normal que a autonomia se esgote mais rapidamente devido à utilização intensiva da energia disponível na bateria.

O importante antes de comprar uma bicicleta elétrica, no que toca à autonomia, é verificar a capacidade da bateria para perceber se tem uma capacidade ajustada às necessidades do utilizador.

Se a utilização não for intensiva, talvez não seja necessário adquirir uma bateria com uma capacidade muito elevada.

Por outro lado, se for para utilização intensiva, tanto em distância como em tipo de percurso, talvez já compense adquirir uma bicicleta cuja bateria tenha uma capacidade elevada.

Para além da capacidade, é importante também perceber se a bateria é removível ou fixa.

A grande vantagem das baterias removíveis é a possibilidade de carregamento em qualquer local. Se este aspeto for muito relevante para si, talvez seja melhor deixar de lado as bicicletas com baterias fixas.

Por último, o tipo de material de construção da bateria também irá influenciar o seu desempenho, e o seu preço.

As baterias de uma bicicleta elétrica podem ser de chumbo, de níquel, de iões de lítio ou de polímeros de lítio.

  • Baterias de chumbo (gel): são mais baratas, mas mais pesadas e sensíveis às baixas temperaturas, o que influenciará a autonomia disponível.
  • Baterias de níquel (Ni-MH): mais caras, mas mais leves, têm uma grande desvantagem: o desempenho da bateria diminui consideravelmente ao longo do tempo.
  • Baterias de iões de lítio (Li-Ion): possuem uma maior densidade de energia, mesmo sendo leves.

Baterias de polímeros de lítio (Li-Pol): com uma maior densidade de energia e um peso mais baixo, são o tipo de bateria mais estável, nomeadamente a nível de desempenho ao longo do tempo.

 

1.4 Vantagens das bicicletas elétricas

Tal como mencionado anteriormente, são várias as vantagens das bicicletas elétricas, quer para os amantes de bicicletas, quer para as pessoas que procuram simplesmente um meio de transporte sustentável e eficiente.

Com uma bicicleta elétrica poderá deslocar-se, nomeadamente nos centros urbanos, de forma rápida e sustentável, sem necessitar utilizar combustível.

Claro que carregar uma bicicleta elétrica também tem os seus custos. Contudo, sendo o preço da eletricidade bastante inferior ao custo do combustível, compensa (muito) utilizar uma bicicleta elétrica.

Se o objetivo for fazer exercício físico, com uma bicicleta elétrica poderá continuar a fazer o mesmo que com uma bicicleta convencional. Basta circular com o nível de assistência mais baixo, e vai conseguir exercitar-se e queimar calorias como numa bicicleta convencional.

E se o objetivo for passear, com uma bicicleta elétrica conseguirá percorrer mais quilómetros, e com menos esforço.

As cidades procuram cada vez mais apostar na utilização deste tipo de meio de transporte. Não são apenas os carros elétricos que vêm crescer a sua quota no mercado automóvel. Também as bicicletas e trotinetes elétricas têm uma procura cada vez maior.

 

2. Trotinetes Elétricas

Possivelmente já terá visto alguma trotinete elétrica estacionada numa rua da sua cidade.

A oferta de aluguer de trotinetes elétricas, por parte de empresas especializadas, tem vindo a crescer nas cidades portuguesas.

Utilizar uma trotinete elétrica para se deslocar rapidamente entre dois locais, mais ou menos próximos, é cada vez mais comum.

A grande vantagem da trotinete elétrica face a uma bicicleta, mesmo que elétrica? Para circular na trotinete, não tem que fazer qualquer esforço físico. Basta colocar-se em cima da trotinete e seguir viagem.

E usar uma trotinete elétrica é divertido. É prático, também, porque muitas são dobráveis e é possível transportá-las facilmente nos transportes públicos, num avião, entre outros.

Conhecer uma cidade nova é muito mais fácil se estiver a utilizar uma trotinete elétrica. Não tem que se cansar ao caminhar. Não ficar fechado dentro de um transporte público para ir do ponto A ao B. E se precisar carregar a trotinete? Pode fazê-lo ao ligar este veículo a uma tomada elétrica.

É por isso que  utilizar uma trotinete elétrica é uma atividade procurada por miúdos e graúdos.

E se há aqueles que preferem alugar as trotinetes ao minuto para deslocações esporádicas, há também aqueles que fazem da trotinete elétrica o seu meio de transporte principal.

Para isso, basta investir na compra de uma trotinete elétrica e passar a usá-la frequentemente.

A poupança está garantida já que a trotinete elétrica tem um custo inicial não muito elevado e os seus carregamentos são também mais baratos que o custo com o combustível.

Além disso, tal como nas bicicletas elétricas, pode obter apoio financeiro para comprar uma trotinete elétrica. Mais à frente neste artigo, descobre como pode pedir o seu apoio financeiro.

 

2.1 Como funcionam as trotinetes elétricas

Tal como as bicicletas elétricas, também as trotinetes elétricas têm um motor e uma bateria elétricos.

Para iniciar marcha e ativar o motor, também é necessário impulsionar a trotinete. Depois, ao contrário do que acontece com a bicicleta elétrica, não é preciso continuar a impulsionar a trotinete, sendo possível viajar sem qualquer tipo de esforço.

Para travar a trotinete, é possível utilizar o travão de mão localizado no guiador, tal como nas trotinetes convencionais, ou o travão de pé localizado no em cima da roda traseira.

Algumas trotinetes elétricas contam com um sistema de travagem regenerativo. Este sistema permite que, ao travar ou desacelerar, a bateria elétrica seja recarregada, permitindo assim aumentar a autonomia.

 

2.2 O motor elétrico da trotinete

A capacidade do motor elétrico vai definir a potência da trotinete elétrica.

Um motor elétrico com menor capacidade pode não ser o ideal para subir ruas com grande inclinação, ou transportar um peso elevado. Assim, é fundamental analisar a capacidade do motor e optar por uma com potência suficiente para as suas necessidades.

Uma trotinete com cerca de 250W é suficiente para viagens não muito exigentes. Para percursos mais exigentes um motor com 1000W é mais indicado.

 

2.3 A autonomia e bateria elétrica

As baterias elétricas das trotinetes elétricas podem ser, ou não, amovíveis. Se forem, pode tirá-las e carregá-las em qualquer lugar. Se não forem, basta conectar a trotinete a uma tomada elétrica utilizando um cabo para o efeito.

O tempo necessário para o carregamento pode ser muito diverso, dependendo muito da capacidade da própria bateria. 

As baterias das trotinetes elétricas podem ser de dois tipos:

  • Baterias de chumbo: demoram algum tempo a carregar e embora mais baratas, têm uma vida útil mais reduzida. 

  • Baterias de iões de lítio: são mais leves e carregam rapidamente.

 Em relação à autonomia, tal como se verifica para as bicicletas elétricas, esta é sempre influenciada por diversos e diferentes aspetos.

O trajeto, o peso que transporta, a potência da própria bateria, vai influenciar a autonomia. Isto, e os cuidados corretos com a trotinete elétrica, nomeadamente a bateria.

Não deixar que a bateria se esgote por completo; não deixar que a bateria carregue por completo; utilizar sempre os cabos e conectores do fabricante da bicicleta; não expor a bateria a temperaturas extremas; são tudo boas práticas para preservar a capacidade e qualidade da bateria.

 

2.4 Vantagens da trotinete elétrica

A principal e indiscutível vantagem das trotinetes elétricas pode ser reduzida a uma simples palavra: praticabilidade.

Grande parte das trotinetes elétricas são dobráveis e leves, o que faz com que sejam fáceis de transportar e de guardar, mesmo durante as viagens em transportes públicos. 

É muito mais simples andar nas ruas de uma cidade, no metro, no autocarro com uma trotinete elétrica, quando comparado com uma bicicleta.

Se o objetivo for fugir ao trânsito, nesse aspeto a trotinete ganha ainda mais pontos aos meios de transportes alternativos.

Comparador entre veículos de baixas emissões e veículos convencionais

 

Emissões

A bicicleta elétrica, a trotinete elétrica e a bicicleta convencional não emitem gases poluentes quando em circulação, pois não consomem combustíveis fósseis. Já os motociclos ou os automóveis convencionais, sim.

 

Velocidade máxima permitida

A bicicleta elétrica e a trotinete elétrica estão limitadas, por lei, a uma velocidade máxima de 25 km/h. Eventualmente, poderão ultrapassar esta velocidade, mas sem a ajuda do motor, uma vez que este está limitado eletronicamente.

Os motociclos e os automóveis têm velocidades máximas definidas por lei que variam de acordo com a estrada em que circulam. Dentro das localidades, por exemplo, só podem circular a 50 km/h.

 

Preço de venda ao público

As bicicletas convencionais e elétricas, bem como as trotinetes elétricas são bastante mais económicas do que um carro ou uma mota. 

Obviamente que há exceções, uma vez que há bicicletas convencionais que custam milhares de euros. No entanto, regra geral, é esta a regra.

 

Manutenção

A manutenção de um motociclo ou de um automóvel vai ser certamente mais elevada que a manutenção de uma bicicleta ou trotinete elétrica, e, principalmente, mais elevada que a manutenção de uma bicicleta convencional.

 

Impostos

As bicicletas, convencionais ou não, e as trotinetes elétricas não estão sujeitas a qualquer tipo de imposto. Já não se pode dizer o mesmo dos automóveis e motociclos.

 

Incentivos

Existem incentivos, criados pelo Governo, para incentivar a compra de veículos de baixas emissões, ou seja, elétricos. Qualquer veículo, desde que elétrico, pode ser elegível.

Incentivos pela introdução no consumo de veículos de baixas emissões

 

O incentivo pela introdução no consumo de veículos de baixas emissões definido para o ano de 2021 foi quase que duplicado no passado mês de agosto. Este incentivo insere-se dentro do programa da fiscalidade verde mencionado inicialmente.

Com vista a impulsionar a compra de veículos de baixas emissões (bicicletas elétricas, trotinetes elétricas e bicicletas convencionais), no passado dia 24 de agosto foi publicado o Despacho n.º 8363/2021, que altera o Despacho n.º 2535/2021, aumentando o incentivo para a compra destes veículos.

Até à data de publicação do Despacho n.º 8363/2021, a dotação definida para o incentivo à compra de bicicletas, motociclos e ciclomotores 100% elétricos era de 650.000€, e para a compra de bicicletas convencionais era de 50.000€.

Com o aumento do incentivo à compra destes veículos, a dotação máxima para a compra de bicicletas, motociclos e ciclomotores 100% elétricos passou a ser de 1.100.000€ (+69%), e para a compra de bicicletas convencionais passou a ser de 100.000€ (+100%).

Com este reforço no incentivo, o Governo espera aumentar a procura por este tipo de veículos, procurando atingir os objetivos definidos para um desenvolvimento mais sustentável.

De salientar que o apoio para a compra de bicicletas, motociclos e ciclomotores 100% elétricos está limitada da seguinte forma:

  • a um máximo de 4 incentivos no caso de pessoa coletiva e 1 incentivo no caso de pessoa singular
  • um valor máximo por incentivo de 50% do preço do veículo, nunca podendo ultrapassar os 350€.

Já no caso das bicicletas convencionais, o apoio está também limitado a um máximo de 4 incentivos no caso de pessoa coletiva e 1 incentivo no caso de pessoa singular, mas com um valor máximo por incentivo de apenas 20% do preço da bicicleta, nunca podendo ultrapassar os 100€.

 

Tabela 1. Incentivo pela introdução no consumo de veículos de baixas emissões

 

Tipologia

Regras

Dotação

Bicicletas, motociclos e ciclomotores 100% elétricos

-50% PVP até 350€

-Máximo de 4 incentivos no caso de pessoa coletiva

-Máximo de 1 incentivo no caso de pessoa singular


1.100.000€ (+69%)

~ 3.142 incentivos

Bicicletas convencionais

-20% PVP até 100€

-Máximo de 4 incentivos no caso de pessoa coletiva

-Máximo de 1 incentivo no caso de pessoa singular


100.000€ 

~ 1.000 incentivos

 

 

Estou indeciso, devo escolher uma bicicleta ou uma trotinete elétrica?

A resposta é simples: depende!

O utilizador deve sempre fazer a escolha que melhor satisfaz as suas necessidades dentro do orçamento disponível. 

Se o utilizador procura uma solução económica e amiga do ambiente, leve e fácil de transportar, mesmo dentro de um autocarro, do metro ou outro transporte público, então a trotinete é a melhor escolha.

Em contrapartida, se procura um meio de transporte igualmente amigo do ambiente, mas mais robusto, com um maior conforto, a bicicleta será a escolha certa.

Se o utilizador procurar um meio de transporte para longas distâncias ou um meio de diversão para realizar longos passeios pela estrada ou montanha, a bicicleta também será a melhor opção.

Para fazer a escolha certa, deve sempre pensar: qual será o uso principal a ser concedido ao meio de transporte (ex: distâncias curtas vs longas, ocasionalmente vs regularmente; estrada vs montanha; trajetos com declives vs trajetos planos; campo vs urbano), o montante que pretende gastar, o tipo de robustez que procura no transporte, que características procura e o orçamento disponível.

Não se pode dizer que há uma escolha certa ou errada, há sim uma escolha mais ajustada às necessidades do utilizador.

O melhor do dott no seu email.

Seja o primeiro a saber todas as novidades e campanhas. 🤞Ao submeter o seu email, concorda com a nossa política de privacidade.